Reaprender a conectar

Setembro 24, 2018 0 Por Joana

Houve uma altura em que eu trabalhava em horário duplo e estudava. Como calculam, tempo para mim era muito escasso. O mais “engraçado” é que quando tive férias do trabalho e das aulas pela primeira vez, senti-me inquieta. Porquê? Porque já não sabia como estar comigo, não sabia relaxar sem ter algo planeado, não sabia como preencher o espaço dos meus dias. Sentia necessidade de ter alguma coisa para fazer e quando tinha momentos mortos ficava ansiosa. Estava habituada a um ritmo acelerado, sempre com tarefas para concretizar, horários para cumprir, sítios onde tinha de estar, e não estava a conseguir gerir dentro de mim aquela desaceleração, os intervalos em que nada me era “exigido”. Então, forçava-me, a fazer tarefas em casa, a ter algo planeado para ocupar o meu dia, a manter-me sempre em movimento. Enquanto fazia essas coisas estava ocupada, e achava que estava tudo bem.

Até que ao fim de uns tempos, nas férias seguintes e depois de uma conversa com uns amigos, comecei a pensar nisto… É normal que o ritmo de vida que levamos nos molde um pouco, mas não é saudável que nos deixemos absorver na rotina, na correria, ao ponto de nem sequer pensar em aproveitar o tempo livre, por pouco que seja, para estar connosco, para perceber como está o nosso corpo, quais são as emoções que nos abraçam, os pensamentos que nos acompanham quando fechamos os olhos.

Eu, pelo menos, olhando para trás, não sinto que estivesse a ser saudável na altura. Tinha sempre a cabeça a andar a mil à hora e o corpo parecia ficar mais tenso quando eu estava parada.

Desde então que procurei sempre manter uma relação diária com as ferramentas que encontro ao longo do meu caminho para me manter em contacto comigo, como, por exemplo, uma aula de Yoga, um momento a meditar, escrever no meu caderninho algumas reflexões, ou correr para a Natureza e deixar que esta me envolva. Não posso dizer que é sempre fácil, quem tem práticas idênticas também sabe isto, mas é um compromisso que assumi comigo. Nem que seja por 10 minutos naqueles dias mais preenchidos. Nesses 10 minutos permito-me desacelerar e simplesmente estar🍃🌿

E tu, tens guardado tempo para ti ultimamente? Achas que é importante?