Escritos da Alma

Sento-me e deixo-me estar
Assim, contemplando o que se passa dentro de mim
E fora de mim:
Os meus pensamentos,
As minhas reacções
Físicas, emocionais, mentais.
Aqui, em silêncio, oiço o que se passa na rua,
Os barulhos da casa,
Sinto a respiração, o bater do coração,
O meu corpo a fazer pequenos ajustes à procura de conforto.

O diálogo interno teima em surgir,
E eu deixo,
Porque se o evito, mais força ele tem,
Quanto mais procuro fugir, mais ele me persegue.
Fico assim, só a observar o que está fora e dentro,
Sem julgar, sem medos, sem vergonhas.
Imagens, sons, cheiros,
Memórias, sonhos, pesadelos,
Sentimentos,
Vêm e vão.
Eu observo sem apego.
Algumas perguntas fazem-se na minha cabeça,
Mas deixo-as ir.
As respostas não podem ser dadas pelo meu cérebro,
E se calhar apenas o coração as entenderá.
Talvez esteja um tanto ou quanto inquieta,
Mas não faz mal.
Faz parte.
E fico assim por tempo indefinido,
Porque este momento é meu.


Sinto os olhos a arder…
Oh, esperem, não estão a arder!
São as lágrimas que aparecem e querem ser libertadas.
E eu deixo.
Se elas querem, eu não as contenho.
Começam a cair sem parar, e eu não tento perceber porquê,
Porque no meu coração eu sei,
E o meu cérebro não é para aqui chamado, não para racionalizar
O que eu estou a viver.

Oh, mas, calma, o que é isto?!
Um sorriso de orelha a orelha?!
Uma gargalhada que ecoa pela casa?!
“Olha que figura, Joana” diz, por fim, o cérebro,
“Rir e chorar assim ao mesmo tempo, com intensidade igual…
O que diriam se te vissem agora?” É o meu coração que responde
“Se me vissem, perceberiam,
Veriam a cura que está a acontecer,
Como estou feliz e a abraçar sentimentos de paz,
De libertação”.
Não usa palavras, o meu coração,
mas é isso que ele responde.
E o meu cérebro cala-se.

Eu deixo-me estar assim
A chorar e a rir ao mesmo tempo,
A sentir as lágrimas energéticas a descer pela face,
A ouvir a minha gargalhada de criança que ri com a maior das vontades,
A sentir o abraço de todos os Seres de Luz da minha vida,
E o Amor do Universo.

Por cada momento destes,
sou grata.
Por cada aprendizagem,
Por cada libertação,
(mesmo que doa um pouco)
Sou grata.💚🦋🌻
.
📸por mim
Não sei quem juntou as pedras.

Etiquetas , , , , , ,

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: