Equilíbrio Hormonal Feminino na Ayurveda

Hoje falamos de equilíbrio hormonal feminino, que foi um dos temas pedidos por vocês no Instagram, e é essencial não só para o bem-estar da Mulher, mas também para a sua saúde. Podem ler alguma informação sobre o ciclo menstrual neste post, mas desde que o escrevi que queria explorar um pouco mais o tema, mesmo a nível da alimentação, mostrando opções que provavelmente até já usamos no nosso dia-a-dia. No final do post podem ver algumas dicas, como sempre.

Podem ainda ver os outros posts com temas da saúde da mulher (vão clicando nos temas, que coloquei link directo): cólicas menstruais, gravidez, infertilidade feminina, ovários poliquísticos, e ainda, se estiverem interessadas, sobre a Lua como arquétipo da Mulher.

 

Começamos por nomear algumas das consequências da produção inadequada de determinadas hormonas
  • Estrogénio: pode provocar irregularidade menstrual ou mesmo ausência de menstruação. Além disso, tem consequências como mudanças repentinas de humor, menopausa precoce, diminuição da libido e dificuldade para engravidar.

  • Progesterona: as principais consequências da falta desta hormona são a dificuldade para engravidar e menstruação irregular. Podem também existir sintomas pré-menstruais intensos e fadiga elevada.

  • Testosterona: como sinais principais são apontados diminuição da libido, cabelos quebradiços e pele extremamente seca.

  • Prolactina: embora a sua falta seja normalmente identificada após a gravidez, não é só nessa altura que esta tem influência no nosso organismo. Como tal, a deficiência desta hormona pode levar a alterações menstruais (irregularidade menstrual, fluxo em excesso ou em muito pouca quantidade, dor intensa, menstruação muito curta ou prolongada), fadiga, queda de cabelo, atraso na puberdade e, claro, lactação inadequada.

Perspectiva Ayurvédica

A Ayurveda ensina-nos que o ciclo menstrual é governado pelos diferentes doshas, dependendo da fase. Neste post podem ver uma pequena descrição e uma imagem com a representação disto mesmo.

Normalmente a menarca (primeira menstruação) ocorre por volta dos 13 ou 14 anos de idade, mas se Pitta tiver fortes influências na constituição da mulher, esta pode menstruar pela primeira vez por volta dos 9 anos. Já um Kapha em excesso leva a que esta primeira menstruação ocorra mais tarde, por volta dos 16 anos.

Por outro lado, Pitta diminuído leva a um fluxo menstrual fraco, e Kapha diminuído pode levar à ausência de ovulação. Vata actua nos vasos sanguíneos, ajudando o fluxo a descer. Mas este é o dosha do movimento, e tem várias direcções no nosso corpo; se não estiver equilibrado, a menstruação fica comprometida.

Mas não é só isso

As alterações hormonais são também  fortemente influenciadas pelo Ama (toxinas), que é resultado de uma digestão pobre. O Ama bloqueia os receptores celulares, e as hormonas não conseguem ser transportadas para as células.

Também o stress, para além de debilitar o sistema reprodutor, o que já de si pode levar problemas de saúde, também tem efeitos na nossa digestão e no nosso sono, e tudo isto influencia a nossa saúde hormonal.

Dicas da Ayurveda

No post que refiro acima, falei de ervas muito específicas da Ayurveda, mas que podem ser mais difíceis de adquirir. Aqui fui um pouco mais longe, porque acho necessário. Na altura não consegui encontrar estas informações, mas no aprofundamento do tema consegui encontrar alternativas mais úteis. Começo com algumas coisinhas mais gerais, e no final falo da alimentação.

Lembrem-se: estes posts não substituem a consulta de um profissional adequado, que vos possa observar e conhecer a vossa história e antecedentes familiares. Tudo isso é importante. Eu descrevo aquilo que a Ayurveda fala, e algumas coisas resultaram comigo ou pessoas conhecidas, mas por vezes são aliadas a vários tipos de tratamento.

  • Na fase menstrual, assim como em qualquer outro processo de limpeza do nosso corpo, é essencial manter a boa hidratação, não apenas com água, mas também com chás quentes, como chá de gengibre ou limão

    • Também é aconselhado o chá de cominhos, coentro e funcho para hidratar, que já vos falei aqui no blog, por exemplo, no post sobre a febre. Para este chá: Juntar porções iguais de sementes de cominho, sementes de coentro e sementes de funcho, e misturar. Juntar uma colher de chá desta mistura a uma chávena de água quente e deixar repousar por 10 minutos. Coar, e está pronta a beber. Quem está a amamentar deve ter cuidado na ingestão deste chá; falem com o vosso médico 🙂

  • Na fase menstrual, descansar o mais possível, evitando tarefas que exijam esforço; as energias devem ser direccionadas para a limpeza natural que está a acontecer no organismo. Mesmo a nível de vida sexual e prática de yoga, é aconselhada mais calma nesta altura. Meditar é uma prática excelente

  • Não suprimir a vontade de espirrar, urinar, evacuar, porque se o fizermos estamos a promover o movimento de Vata para cima, em vez do seu normal movimento descendente

  • Manter um peso saudável, evitando a produção excessiva ou diminuída de determinadas hormonas

  • Manter um padrão de sono regular. É muito importante respeitar os ciclos na Natureza, dormindo de noite e estando acordadas durante o dia; isto tem forte influência na nossa saúde hormonal

  • Apesar de nem sempre ser fácil, manter o stress num nível saudável, procurando estratégias para o gerirmos da melhor forma: meditação, yoga ou outro tipo de exercício físico… procurar formas de fazer algo que gostamos e nos faz sentir bem, ajudando a diminuir o stress e a ansiedade das nossas vidas

Em relação à alimentação mais propriamente dita
  • Ter uma alimentação simples e adequada ao dosha predominante

  • É aconselhado utilizar especiarias, como gengibre, canela e açafrão-das-índias, seja em chás, seja na comida (quem tiver desequilíbrio Pitta, deve ser cuidadosa na sua utilização; há possibilidade de, com alimentos mais adequados a este dosha, contrabalançar os efeitos das especiarias)

    • Açafrão-das-Índias: é anti-inflamatório, antisséptico, antioxidante e antibacteriano. Previne e ajuda a tratar doenças no aparelho reprodutor feminino

    • Gengibre: além de ser analgésico, antioxidante, anti-inflamatório, e ter outros benefícios para o nosso sistema reprodutor, contribui para a regulação hormonal

    • Canela: promove o alívio da dor e da inflamação, tem efeito antioxidante, e reduz o fluxo menstrual intenso. Apesar de não estar comprovado cientificamente, é defendido que pode ajudar inclusive em situações de ovários poliquísticos (podem ler os resultados de um estudo sobre isto aqui)

  • Evitar cafeína e álcool, porque contribuem para o desequilíbrio hormonal

  • Incluir na alimentação

    • Alimentos ricos em zinco, para ajudar na produção de testosterona, como chocolate preto, amendoins, sementes de abóbora, amêndoas…

    • Alimentos ricos em ómega 3, que ajudam o organismo na absorção das hormonas. Como exemplos temos nozes, sementes de linhaça, sementes de chia.

    • Alimentos ricos em fibra, que renovam o estrogénio, como frutas, legumes, arroz integral, feijão, milho, frutos secos.

    • Fitoestrogénios (alimentos ricos em estrogénio) como soja, linhaça, sementes de girassol, ervilhas. A linhaça é rica em fibras, ômega 3, ômega 6, vitaminas e minerais. Diz-se que ajuda a diminuir os sintomas da TPM e da menopausa.

Espero que gostem 😉

Etiquetas , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *