Escritos da Alma,  Reflexões,  Roda do Ano

Outono Interior

 

Imagem daqui

O meu Outono interior começa a chamar por mim logo no final de Agosto, entrando devagarinho na minha vida, pé ante pé, até se instalar por completo. Ano após ano isto permanece.

Durante todo o ano dou vários mergulhos internos, mas é quando a deusa Perséfone retorna ao submundo que as visitas à minha caverna interior se tornam mais intensas e mais frequentes.

A partir desta altura dão-se múltiplos processos de vida-morte-renascimento em mim. Sigo o exemplo das árvores, que ficam despidas das folhas antigas, e deixo para trás aquilo que já não faz sentido permanecer no meu caminho.

Este ano tem sido de várias transformações.

O Mundo mudou drasticamente e com isso muitas coisas tiveram de ser alteradas nas vidas de todos nós. Algumas deixaram de fazer sentido, outras ganharam novas roupagens. Mas também existiram (re)nascimentos maravilhosos.

O Samhain está a chegar, no dia 31, e as minhas celebrações já começaram.

Celebro as minhas conquistas, aquilo que liberto e que deixo no passado. Celebro os meus ancestrais que tanto me inspiram na minha jornada. Celebro a minha luz e a minha sombra. Celebro a natureza, a vida e os seus ciclos, e sinto no mais profundo do meu ser que estou exactamente onde tenho de estar.

E por tudo isto eu sou grata 🧡

E tu, já pensaste o que tens a celebrar e que bagagens deixar para trás neste fim de ciclo? 🍂

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: